O processo para a instalação de 59 agentes da Polícia Municipal na cidade da Praia encontra-se na fase final, devendo passar a operar a partir do primeiro trimestre de 2024, anunciou hoje o edil praiense, Francisco Carvalho.

A informação foi dada em declaração aos jornalistas, à margem do segundo dia da VI sessão extraordinária e VII sessão ordinária da Assembleia Municipal, que acontece até quinta feira, 30, tendo o presidente da câmara avançado que já foram realizados os testes físicos e psicotécnicos aos agentes municipais.

De acordo com o autarca, o júri concluiu a análise dos processos dos agentes que manifestaram vontade em transitar para nova função, acrescentando que vão enviar hoje os dossiês ao Ministério da Administração Interna.

“Já organizamos os dossiês, realizamos os testes exigidos pela lei e verificamos que todos os agentes têm o 12º ano. Da nossa parte cumprimos, agora vamos entregar os dossiês no Ministério da Administração Interna para podermos ter o aval e seguir em frente”, reiterou, sublinhando que vão lançar agora um concurso para aumentar o número de efectivos.

Francisco Carvalho realçou que a edilidade assumiu as linhas essenciais para governação do município e que o orçamento para 2024, além de ultimar o processo da formação dos agentes da Polícia Municipal, estabelece um conjunto de acções e apostas na vertente social como criação de espaços verdes, recurso a energia solar e eólica e acções climáticas.

Instado sobre a posição do MpD, o autarca disse que a oposição decidiu assumir uma postura contra o desenvolvimento do município “chumbando os projectos” apresentados pela câmara, e que “estando no poder” aplica uma democracia numa perspectiva “sazonal e disfarçada”.

“O MpD chumba tudo nas reuniões da câmara da Praia, se votarem a favor é um bónus, nós contamos sempre com o chumbo do MpD. Lembremos bem, no ano passado votaram contra as luzes de Natal, e hoje seguramente vão votar contra. Estamos preparados, porque o MpD decidiu assumir uma postura de contra o município da Praia”, disse.

Por: Inforpress