O basquetebolista do Benfica Ivan Almeida foi suspenso preventivamente por 30 dias, por alegada “tentativa de ofensa à integridade física de juiz” e “ameaças”, anunciou hoje o Conselho de Disciplina (CD) da Federação Portuguesa de Basquetebol (FPB).

Segundo comunicado do CD da FPB, o jogador ‘encarnado’ foi alvo de um processo disciplinar com base no relatório do jogo da sexta jornada do Grupo A da Liga de basquetebol, disputado no sábado, no Pavilhão do Estádio da Luz, em Lisboa, em que a equipa da casa venceu o Sporting por 99-86, com Ivan Almeida a ser expulso devido a duas faltas técnicas.

“Decidiu o Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Basquetebol aplicar ao arguido a medida de suspensão preventivamente do arguido por um período de 30 (trinta) dias, nos termos do disposto no artigo 96.º do Regulamento de Disciplina”, refere o documento.

O CD da FPB salienta que ao jogador estão imputados os ilícitos disciplinares de “tentativa de ofensa à integridade física de juiz”, que tem uma moldura sancionatória que vai de “três meses a dois anos e seis meses de suspensão”, bem como ameaças, que podem levar à suspensão de um a três jogos.

O documento salienta que teve ainda em conta o comportamento anterior de Ivan Almeida, quer os antecedentes disciplinares, bem como a utilização das redes sociais, considerando que o jogador as tem usado como “instrumento de criação de situações tendentes à perturbação do normal desenrolar da competição”.

Assim, o CD da FPB concluiu que estavam reunidas as condições para a aplicação da medida de suspensão provisória, salientando que é a “única medida que se mostra adequada à gravidade dos factos que lhe são imputados” e “proporcional à culpa indiciada”.

Depois do encontro, o Benfica tinha reagido, em comunicado, para referir que o internacional cabo-verdiano não tentou agredir os árbitros.

“O Sport Lisboa e Benfica esclarece que o jogador Ivan Almeida em momento algum procurou agredir os árbitros do dérbi de basquetebol deste sábado, ao contrário do que foi colocado a circular. O jogador foi excluído da partida devido a duas faltas técnicas, mas em momento algum desrespeitou ou confrontou a equipa de arbitragem em modos desrespeitosos ou ameaçadores”, refere o documento, divulgado após o jogo.

A Autoridade para a Prevenção e o Combate à Violência no Desporto (APCVD) já tinha instaurado um processo contraordenacional relativo ao duelo entre Benfica e Sporting.

Por: Lusa